Pequena indústria tem terceiro trimestre aquecido

 

A pequena indústria tem terceiro trimestre aquecido. O desempenho encerrou setembro acima da média. O bom momento vivido pela economia brasileira refletiu também nas finanças. Além disso, a falta ou alto custo de matéria-prima e insumos tornaram-se a maior preocupação do setor.

Após atingir o menor índice da história em abril, 27,1 pontos. O desempenho industrial da pequena indústria terminou o terceiro trimestre aquecido. A recuperação foi vertiginosa atingindo 52,3 pontos em setembro de 2020.

Ademais, a situação financeira dessas empresas também melhorou. Em setembro o índice ficou acima do nível do nível pré-quarentenas. Ele atingiu 41,9 pontos, maior nível desde o quarto trimestre de 2013. 

equena indústria aquecido

A quebra das cadeias produtivas e o descompasso entre demanda e oferta ocasionou o aumento da preocupação com a falta de matéria-prima. De fato, tem-se observado esse fenômeno ocorrer em todos setores industriais. Ele vem em conjunto com o aumento do preço dos insumos. Por isso, a falta ou aumento de custo de matéria-prima foi citado como o principal problema enfrentado pela pequena indústria de transformação e construção. Na indústria de transformação 6 em cada 10 afirmaram ser essa a maior dificuldade.

No entanto, o índice de confiança do pequeno empresário manteve-se alto. Embora tenha recuado 0,2 pontos em outubro, ele segue bem acima da média histórica marcando 59,5 pontos. As perspectivas também seguiram o otimismo, chegando a atingir 52,4 pontos.

Portanto, fica evidente o bom momento da economia para a pequena indústria. Todos índices estão bem acima da média histórica graças a rápida recuperação econômica recente. 

Fonte: CNI